tv face

Câmara de Vereadores aprova contas do ex-prefeito Nicola

Data Publicação: 03/10/2017 Publicado por: Assessoria de Imprensa

Câmara de Vereadores aprova contas do ex-prefeito Nicola

Na sessão do dia 02 de outubro, a Câmara de Vereadores de Sarandi aprovou as contas do ex-prefeito Reinaldo Nicola e do vice prefeito Ulisses Toazza referentes ao ano de 2007. O Legislativo formou uma comissão especial conforme determina a legislação para analisar o parecer do Tribunal de Contas do Estado pela aprovação da contas daquele ano porém conforme a Constituição Federal a Câmara Municipal de Vereadores deveria dar o seu parecer favorável ou não. A comissão criada foi composta pelo vereador Alex Rodrigues, REDE, presidente, Denise Gelain relatora e Airton Ortiz revisor.

O parecer da comissão foi pela aprovação da contas mas com votação em plenário após elaboração de Projeto de Decreto Legislativo para apreciação pela Câmara Municipal. Na votação a aprovação foi unanime .

O líder do PDT na Câmara de Vereadores, Wilmar Azeredo, explicou que o parecer desfavorável ás contas do ex- prefeito foram em razão de pagamento de insalubridade para funcionários municipais no ano de 2007 e que para o TCE foram apontadas como irregulares oque fez com que o ex-prefeito recorresse á justiça comum que lhe deu decisão favorável resultando em nova decisão do TCE acompanhado a decisão judicial.

O líder do PP, Paulo Colett, disse que todo processo ou decisão do TCE têm um trâmite normal e obrigatório na Câmara Municipal, como fez o presidente Edson Cezimbra. O vereador do PP diz que na época o ex-prefeito não fez por má intenção pagar a insalubridade e sim para ajudar o funcionalismo.

O líder do REDE, Alex Rodrigues, explicou a Câmara de Vereadores poderia votar pela rejeição ou aprovação das contas do ex-prefeito do ano de 2007 independente da posição do TCE mas adiantou que se o parecer do tribunal fosse negativo votaria pela aprovação das contas do ex-prefeito Nicola pois foi na época foi uma medida em favor do funcionários o pagamento da insalubridade. Para o presidente Edson Cezimbra, a Câmara agiu dentro de lei realizando todos os trâmites necessários ao caso. A votação pela aprovação ou rejeição das contas foi através de voto secreto.(Jose Leal)